A idiotice é vital para a felicidade

O texto abaixo é uma mensagem interessante se soubermos lê-lo em profundidade, onde ele nos lembra o quanto as coisas são vazias em si mesmas, especialmente o que é meramente material. Tudo isso não justifica a nossa tristeza. E se tristes for para ficarmos, que seja então com grandes dramas humanos, para que nossa revolta, se existir, tenha um motivo digno, o de tornar este mundo melhor. E não pior, como sempre acontece quando nos revoltamos, feito crianças tolas, para querer “ter” mais, e “ser” mais. Isto é tolice. Enorme tolice.

(Ailin Aleixo?)

Gente chata essa que quer ser séria, profunda, visceral. Putz, coisa pentelha.
A vida já é um caos, por que fazermos dela, ainda por cima, um tratado do Schopenhauer? Deixe a pungência para as horas em que ela é inevitável: mortes, separações, dores.
No dia-a-dia, pelo amor de Deus, seja idiota. Ria dos próprios defeitos, tire sarro de suas inabilidades. Ignore o que o boçal do seu chefe proferiu. Pense assim: “Quem tem que carregar aquela cara feia, todos os dias, inseparavelmente, é ele…Pobre dele.”
Milhares de casamentos acabaram-se não pela falta de amor, dinheiro, sexo, sincronia, mas pela ausência de idiotice. Quem disse que é bom dividirmos a vida com alguém que tem conselho pra tudo, soluções sensatas, objetivos claramente traçados mas não consegue rir quando tropeça? Que sabe resolver uma crise familiar mas não tem a menor idéia de como preencher as horas livres de um fim de semana?
Sim, porque é bem comum gente que fica perdida quando se acabam os problemas. E daí, o que elas farão se já não têm por que se desesperar? Em suma: desaprenderam a brincar.
Eu não quero alguém assim comigo. A realidade já é dura; piora se for densa. Dura e densa, ruim. Brincar é legal. Entendeu?
Esqueça o que te falaram sobre ser adulto, tudo aquilo de não brincar com comida, não falar besteira, não ser imaturo, não se descontrolar, não demonstrar o que sente. É muito “não”. Dá pra ser feliz com tanto “não”? Pagar as contas, ser bem-sucedido, amar, ter filhos – tarefa brava. Piora, muito, com o peso de todos aqueles “nãos”.
Tenha fé em uma coisa: dá certo ser adulto e idiota. Aliás, tudo fica bem mais fácil ser for regado a idiotice, bom humor. Manuel Bandeira foi um grande homem e um grande poeta. Disse certa vez: “E por que essa condenação da piada, como se a vida fosse só feita de momentos graves ou só nesses houvesse teor poético?”. Estava certo.
Empine pipa!!! Adultos podem (e devem) contar piadas, ir ao fliperama, beliscar a bunda da sua mulher, sair pelados pela cozinha. Ser adulto não é perder os prazeres da vida – e esse é o único “não” aceitável.
Teste a teoria. Uma semaninha, pra começar. Veja e sinta as coisas como se elas fossem o que são: passageiras. A briga, a dívida, a dor, a raiva, tudinho vai passar, então pra que tanta gravidade?
Já fez tudo o que podia para resolver o problema? Parou, chorou, pediu arrego? Ótimo, hora da idiotice: entre na Internet, jogue pebolim, coma um churrasco grego.
Tá numas de empinar pipa no sábado? Vá.
Quer conversar com sua namorada imitando o Pato Donald mas acha muito boçal? E é, mas e daí? Você realmente acha que ela vai gostar menos de você por isso? Ela não vai, tenha certeza.
Só vai gostar mais, porque é delicioso estarmos com quem sorri e ri de si mesmo.
Eu fico chateado por não ser tão idiota quanto gostaria; tenho uma mania horrível de, sem querer, recair na seriedade.
Então o mundo fica cinza e cada lágrima ganha o peso de uma bigorna. Nessas horas não preciso de cenhos franzidos de preocupação. Nessas horas tudo de que preciso é uma bela, grande e impagável idiotice. Como sair pra jogar paintball – ou, melhor ainda, me olhar fixamente no espelho até notar como fico feio com os olhos vermelhos e o nariz escorrendo.
Como fico ridículo quando esqueço que tudo passa. Bom mesmo é ter o problema na cabeça, o sorriso na boca e paz no coração!!!!

Anúncios

8 Responses to A idiotice é vital para a felicidade

  1. yanna omena says:

    mtu bom o texto.
    foi indicado por um amigooo
    gostei mtu e favoritei seu blog, ok?!

    :*

  2. ana clara says:

    nossa, vi esse texto em vários lugares. procurei no google, e não acho o verdadeiro autor.
    você tem certeza que é ailin aleixo? e não copiado na internet?!
    gostaria muito de uma resposta… abraço.

    Resposta d’O Impressionista:

    Bom, certeza não tenho. Mas foi a única referência que encontrei, na época.

  3. ana clara says:

    Adorei o textooo!!!! xD

    mostrei até pra miinha mãe hahahah

    Beeijos.

  4. Daniel says:

    texto excelente!!

    😀

    Resposta d’O Impressionista:
    Cada vez que releio esse texto, sinto que ele carrega uma verdade relativa. Quero dizer, não dá para fugir de todas as preocupações, de todos os pesos, de todas os problemas, apenas por uma mudança de atitude. Dá para mudar a atitude, apenas, e isso em geral é bom. Sinto, porém, que a palavra “idiotice” pode confundir-nos, às vezes. O mundo nos fez (por quê?) considerar isso uma idiotice, mas não concordo. Penso que a atitude de rir – especialmente de si mesmo – e ter bom humor, e pensar que as coisas, as pessoas (inclusive a de si mesmo) são passageiras, a vida é passageira, não é idiotice. É sabedoria.

  5. Gabrielle do Vale Sousa says:

    Em minha humilde opinião, creio que este texto tem parcial razão. Devemos encarar certas coisas com mais leveza, como ele relata. Se muitos dos fatos de nossas vivências são um tanto desgastantes e propensos à tristeza, porque não o amenizarmos para termos mais qualidade de vida? Embora este texto carregue um aconselhável remédio para um constante sorriso, devemos assumir que a seriedade é importante também. Não devemos agir como “bobos-alegres” todo o tempo, mas sabermos distinguir os momentos em que devemos usar a cada lado de nossos temperamentos. O segredo da vida é este: equilíbrio.

    Resposta d’O Impressionista:
    Gabi, eu acho que você tem toda razão!

  6. Luzia says:

    Nossa a palavra idiota é tão forte que assusta…
    ao ler o texto percebi que mudanças acontecem o tempo todo, e precisamos amadurecer com mais serenidade, e que tudo não é tão serio quanto parece e que o bom humor
    faz parte do viver melhor. Sorrir é uma eterna magia e o sorriso até prá quem esta do outro lado da linha atendendo o telefone, tem um efeito muito bom…não deixe de sorrir ao atender o telefone rsrsrsr…

    Resposta d’O Impressionista:
    Mudanças acontecem o tempo todo. Nem sempre gostamos delas, e daí pode ser difícil sorrir. Mas a se nos lembrarmos que uma das belezas da vida está em seu dinamismo constante, pode vir-nos o sorriso maravilhoso da contemplação do que é belo, harmônico, total no mundo que nos cerca.

  7. Desculpe, mas… esse texto é de Ailin Aleixo mesmo? Porque o li, uma vez, como sendo de Jabor.

    • Jhenifer, na época em que o publiquei dei uma busca pela internet, e o vi citado sem fonte a maior parte das vezes. Não o vi atribuído ao Jabor. Mas se você descobrir com certeza, por gentileza informe, que eu corrigirei prontamente. Agradecido pela visita!

Há espaço para comentários, que só são publicados após dupla moderação, automática e manual. Mensagens ofensivas ou sectárias serão eliminadas automaticamente pelo software, e provavelmente ninguém jamais as lerá, por isso o tempo de escrevê-las é perdido desde o início.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: