Jovem gay é torturado por pai religioso para “curar” homossexualidade

Jovem gay é torturado por pai religioso para “curar” homossexualidade

Por Redação em 07/10/2011 às 19h33

Jovem gay é torturado por pai religioso para "curar" homossexualidade

Foi divulgado esta semana um vídeo do projeto “I’m From Driftwood”, que percorre vários estados do EUA para coletar histórias de homossexuais que ainda são mantidas à margem da sociedade.com, com o depoimento de Samuel Brinton.

No vídeo, Brinton relata as torturas que seu pai lhe infligiu para deixar de ser gay. Segundo ele, o pai, que é missionário da Igreja Batista, o queimou, espancou e deu choques com correntes elétricas.

Brinton contou que sua família, que vive em uma base missionária em Iowa, percebeu que ele era gay aos 12 anos. Em dada ocasião, o jovem disse ao pai que se sentia mais atraído por um amigo do que pelas modelos da revista “Playboy”. O pai, então, o espancou e ele teve que ser internado por conta dos ferimentos.

O rapaz também relatou que seu pai lhe disse que ele era o único gay existente e que se o governo descobrisse a sua orientação sexual, iria assassiná-lo. Brinton já foi hospitalizado seis vezes por conta das sessões de tortura que o seu pai lhe obrigava a passar. Aos médicos, o pai sempre dizia que ele havia sofrido algum tipo de acidente.

Várias foram as formas de tortura que Samuel Brinton sofreu. Entre elas, cubos de gelo eram colocados sobre o seu órgão genital, enquanto imagens de homens eram mostrada; agulhas eram colocadas embaixo de sua unha e emitiam choques quando Samuel se excitava com as imagens de homens fazendo sexo. A intenção do pai era fazer com que o filho ligasse a atração por homens à dor.

Nos piores momentos, Brinton conta que pensou em se matar. Em certa ocasião, decidiu se jogar de um prédio de três andares. A sua mãe, ao tentar dissuadi-lo da ideia, disse que se ele “virasse” heterossexual ela voltaria a amá-lo.

O jovem fingiu por um tempo que era heterossexual e os seus pais o aceitaram. Quando entrou na universidade contou a verdade para os seus pais, desde então, nunca mais se falaram. Brinton diz que a oportunidade deles se redimirem e pedirem desculpas está aberta e que ele aceitaria.

Confira abaixo o vídeo com o depoimento de Samuel Brinton.

Anúncios

2 Responses to Jovem gay é torturado por pai religioso para “curar” homossexualidade

  1. Lucas says:

    Com Licença… Só por curiosidade, eu sou o único a achar isso surreal? O quê passa na cabeça de um “pai” para machucar um ser, pior uma criança, pior um filho, por algo que ele ouviu alguém, que ele nem conhece, dizer que é errado? Será realmente que tais ideais valem tanto a pena? Será que ele nunca parou para pensar o quê o filho estava sentido naquele momento? Dói ouvir uma pessoa antes de julgá-la errônea, culpada, “sem rumo”? Ah esqueci, isso Moisés esqueceu de escrever… Ou pior, alguém fez questão de apagar!

    • Quanto mais vejo como as pessoas costumam agir umas com as outras, mais me convenço de que o pior é isto: parar pra tentar entender o que o Outro sente, tentar imaginar o que se passa com ele, e como parece o mundo da perspectiva dele, como dói em sua pele, são todas coisas que as pessoas não costumam se esforçar para fazer. É mais fácil agir por receitas, estereótipos e preconceitos. A empatia é a única compaixão verdadeira, porém é surpreendente quão pouco tempo as religiões perdem com esse ponto.

Há espaço para comentários, que só são publicados após dupla moderação, automática e manual. Mensagens ofensivas ou sectárias serão eliminadas automaticamente pelo software, e provavelmente ninguém jamais as lerá, por isso o tempo de escrevê-las é perdido desde o início.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: